Author Archives: mda

  • 0

As hortas escolares incentivando a mudança do comportamento alimentar das famílias

No projeto das hortas escolares, a criança desenvolve práticas que contribuem para um melhor entendimento sobre alimentação saudável, além de possibilitar que sejam abordados assuntos como generosidade, participação, cuidado, saúde, tempo da natureza, meio ambiente, sustentabilidade… Sair da sala de aula e desenvolver atividades ao ar livre, mexendo na terra e interagindo com os colegas, tem se mostrado uma prática que resulta em mais qualidade de vida para as crianças e também para toda a comunidade escolar.

Na prática, o tamanho da horta não vai significar maior ou menor aprendizado, pois o plano de ação deve ser montado conforme a realidade de cada escola. Os estudantes que acompanham todo o processo da horta, passam a entender o que é necessário para plantar e colher, tendo uma noção mais clara sobre o caminho que o alimento percorre até chegar no seu prato. Esta vivência tende a formar adultos mais conscientes na hora de realizarem suas escolhas alimentares.

A horta escolar também oportuniza o trabalho em grupo, estimula a cooperação, o respeito e a valorização dos agricultores e agricultoras que trabalham todos os dias cultivando alimentos. A oportunidade de vivenciar a transformação do alimento e cultivar um alimento orgânico e saudável, melhorou muito a alimentação das crianças, influenciando os hábitos alimentares de toda a família.

A produção audiovisual foi coordenada pelo Centro de Tecnologias Alternativas Populares (CETAP). Esse vídeo é parte do projeto Consumidores e Agricultores em Rede, onde participam CEPAGRO, Centro Vianei de Educação Popular, CETAP e AS-PTA, com apoio da Misereor.


  • 0

O cultivo de alimentos no ambiente escolar

Como trabalhar a alimentação saudável com crianças a partir de atividades e práticas vivenciadas pelos próprios estudantes? Quando uma escola tem em seu espaço uma horta escolar, com certeza a oferta de alimentos in natura, frutas e hortaliças é mais diversificada e há uma melhora na qualidade nutricional da alimentação dos alunos. Outros temas também podem ser trabalhados a partir de uma horta na escola, em projetos interdisciplinares, como estudos sobre o clima, cultura alimentar local, consumo de água, educação ambiental… O importante é que as crianças estejam envolvidas em todo o processo, desde o preparo do espaço, incluindo o cultivo e o consumo dos alimentos.

….

Realização: Centro de Tecnologias Alternativas Populares (CETAP), através do Projeto Consumidores e Agricultores em Rede, com apoio da Misereor.


  • -

Dicas para organizar uma horta na escola

Neste vídeo apresentamos algumas dicas e sugestões para implantação de hortas nas escolas, principalmente aquelas que trabalham com Educação Infantil. Na prática, o tamanho da horta não vai significar maior ou menor aprendizado, pois o plano de ação deve ser montado conforme a realidade de cada escola. As ferramentas básicas, a organização do espaço, o preparo do solo, a irrigação e manutenção da umidade, além da manutenção básica e formatos de canteiros, são alguns tópicos abordados.

….

Realização: Centro de Tecnologias Alternativas Populares (CETAP), através do Projeto Consumidores e Agricultores em Rede, com apoio da Misereor.


  • -

A educação ambiental aproximando gerações através das hortas escolares

O CETAP, ao longo de sua história, buscou resgatar o conhecimento tradicional dos agricultores associando com o conhecimento científico de profissionais das Ciências Agrárias, de ambientalistas e lideranças de movimentos sociais e populares. Entre as ações desenvolvidas, está o trabalho de formação e educação, em diferentes níveis, com públicos diversos. Neste sentido, surgiu a proposta de trabalhar com as escolas, especialmente junto ao público da Educação Infantil, através do projeto de Hortas Escolares.

….
Realização: Centro de Tecnologias Alternativas Populares (CETAP), através do Projeto Consumidores e Agricultores em Rede, com apoio da Misereor.


  • 0

Encontro de Sabores: valorizando a biodiversidade, alimentando a vida

Butiá, pinhão, uvaia, araçá-vermelho, guabiroba, jabuticaba, estas são algumas das espécies que, a partir da sensibilização para o uso e valorização junto a grupos de agricultores e extrativistas acompanhados pelo CETAP, passaram a demandar e orientar a construção de uma cadeia produtiva da sociobiodiversidade.

É neste sentido que surge o Encontro de Sabores, empreendimento que tem por objetivo operacionalizar os fluxos de processamento, distribuição e comercialização de uma diversidade de produtos junto aos consumidores e empreendimentos urbanos, tendo como base as espécies nativas. E você, conhece a trajetória e funcionamento do Encontro de Sabores? Venha conhecer estas delícias que contribuem na geração de renda e conservação ambiental no estado do Rio Grande do Sul!


Este vídeo foi produzido pelo Centro de Tecnologias Alternativas Populares (CETAP), com o apoio da Rede Terra do Futuro – Framtidsjorden
2021


  • 0

Alunos do curso de Nutrição da UPF visitam projeto com recicladores para conversar sobre alimentação

No dia 24 de setembro, um grupo de alunos do segundo semestre do curso de Nutrição da Universidade de Passo Fundo – UPF realizou uma visita no galpão da Cooperativa de Reciclagem COOTRAEMPO, na Vila Donaria, em Passo Fundo/RS. O CETAP, em conjunto com o Projeto TransformAção, está organizando a construção de uma horta neste local para produção de alimentos orgânicos, além da revitalização do espaço ao entorno do galpão.

Participaram da atividade em torno de 20 pessoas, entre técnicos do CETAP, equipe do Projeto TransformAção, cooperados da COOTRAEMPO e alunos da UPF, juntamente com as professoras Cíntia Gris e Valéria Hartmann. O objetivo foi demonstrar que é possível construir hortas em pequenos espaços urbanos ou espaços comunitários de extrema carência, além de conversar sobre a destinação correta de resíduos e a realidade dos recicladores, especialmente como a pandemia afetou diretamente o público de baixa renda.

Na oportunidade, destacou-se a crescente demanda por alimentos saudáveis e em quantidade suficiente para suprir a necessidade de tantas famílias, especialmente aquelas mais afetadas pela pandemia ou que vivem em situação de vulnerabilidade social. Também foi abordada a necessidade de conhecer a origem do que se está comendo e como os processos produtivos podem influenciar na qualidade nutricional dos alimentos. Os estudantes também puderam conhecer o espaço interno da cooperativa, as formas de separação dos resíduos, a prensagem de papéis e o destino correto que se deve dar ao lixo domésticos em suas casas.

Como muitos cooperados almoçam diariamente na própria cooperativa, o grupo também pode conhecer a cozinha e como são preparadas as refeições no local. Os estudantes do curso de Nutrição foram convidados a se somar neste projeto, seja pensando sugestões para o preparo dos alimentos no local, elaborando pratos ou um cardápio que atenda as necessidades alimentares destes trabalhadores ou, ainda, de outras formas que possam surgir a partir das visitas. Para atender aos protocolos de segurança, a turma foi dividida em dois grupos, sendo que a outra metade realizará a visita no dia 1º de outubro.


  • 0

Feira Ecológica de Passo Fundo retoma plena atividade com novas bancas de famílias agricultoras

Com o fim de algumas restrições determinadas pelo poder púbico de Passo Fundo/RS em virtude da pandemia de Covid-19, principalmente que reduziram o número de bancas para ampliar o distanciamento, a Feira Ecológica está fortalecendo este importante e histórico espaço de comercialização, com a ampliação do número de bancas que oferecem produtos orgânicos produzidos em nossa região.

Esta retomada acontece neste mês de setembro, com quatro grupos assessorados pelo CETAP, que possuem produção orgânica certificada nos municípios de Aratiba, Barão de Cotegipe, Santo Antônio do Palma, além do coletivo de mulheres da agroindústria Flor de Pitanga, de Itatiba do Sul. O objetivo é ampliar mercados e fortalecer os circuitos curtos de comercialização.

A Feira Ecológica de Passo Fundo é coordenada pela Coonalter (Cooperativa Mista e de Trabalho Alternativa Ltda) e acontece todos os sábados, das 6h às 12h. Os quatro grupos novos participam da feira na Praça da Mãe, na Avenida Brasil, em frente ao Colégio Fagundes dos Reis. A ampliação do número de grupos fortalece, amplia e diversifica, ainda mais, os produtos de base ecológica ofertados. No total, seis bancas de produção orgânica estão comercializando sua produção através desta Feira Ecológica, sendo que Passo Fundo conta com três feiras, realizadas no mesmo dia, em locais diferentes.

A feira é mais um importante espaço de comercialização que busca fortalecer o elo entre agricultores e consumidores, buscando oferecer produtos frescos e de qualidade. Destaca-se a grande diversidade de produtos ofertados pelos diferentes grupos de famílias agricultoras, incluindo produtos congelados como mandioca, cabotiá descascado, panificados, grãos e hortifrutigranjeiros, todos produzidos de maneira orgânica.


  • 0

Inauguração de Meliponário no Parque Longines em Erechim

No dia 22 de setembro aconteceu a inauguração do Meliponário Urbano no Parque Natural Municipal Longines Malinowski, em Erechim/RS. A atividade integrou a programação da Semana Municipal de Meio Ambiente, que neste ano tem como tema “Unidades de Conservação: da Natureza para a Comunidade”.

Outras atividades da Semana de Meio Ambiente, como o Fórum de Meio Ambiente da Juventude do Alto Uruguai Gaúcho e rodas de conversa sobre Educação Ambiental e Abelhas Nativas também contam com a participação da equipe técnica do CETAP.

No dia anterior, 21 de setembro, a Câmara Municipal de Vereadores de Erechim conferiu o prêmio Sérgio Benito Maccagnini ao Grupo de Meliponicultores do Alto Uruguai – GMAU. O grupo é assessorado pelo CETAP e pelo CAPA, congregando mais de 70 criadores de Abelhas Nativas Sem Ferrão – ASF. O Coordenador Executivo do CETAP, Edson Klein, recebeu o prêmio representando o grupo na sessão solene da Câmara Municipal de Vereadores de Erechim, onde aconteceu a outorga do certificado.


  • 0

CETAP e Agroflorestas: trajetórias, memórias e arranjos

Apresentamos neste vídeo uma breve retrospectiva do trabalho do CETAP com os Sistemas Agroflorestais nas diferentes regiões onde atua, compreendendo as principais motivações que colocam a temática como um dos pilares no trabalho da instituição com a agroecologia.

Biodiversidade, Conservação pelo uso, Segurança e Soberania Hídrica, Alimentar e Nutricional, são termos que passam a ser centrais. No trabalho com as Agroflorestas, nos diferentes arranjos e desenhos agroflorestais, os princípios e elementos da floresta assumem função preponderante na construção de sistemas produtivos factíveis a partir do contexto cultural, ecológico e econômico dos atores e atrizes que os manejam.

Este vídeo foi produzido pelo Centro de Tecnologias Alternativas Populares (CETAP), com o apoio da Rede Terra do Futuro – Framtidsjorden.


  • 0

Unidades de Conservação: da natureza para a comunidade é o tema da Semana de Meio Ambiente de Erechim

A Prefeitura de Erechim/RS, através da Secretaria de Meio Ambiente, realiza de 21 a 24 de setembro, a XIX Semana Municipal de Meio Ambiente e o XVIII Fórum Regional de Meio Ambiente. As atividades foram divididas entre presenciais/restritas e online.

O tema deste ano é “Unidades de Conservação: da Natureza para a Comunidade”, dando foco a uma das Unidades de Conservação mais importantes da nossa região, o Parque Natural Municipal Longines Malinowski, onde será inaugurado um Meliponário, na quarta-feira, dia 22/09. A equipe técnica do CETAP participará das atividades, especialmente abordando a temática das Abelhas Nativas Sem Ferrão.

Conforme o secretário de Meio Ambiente, Cristiano Moreira, o objetivo é promover a Educação Ambiental através de eventos e ações que envolvam toda a comunidade. “Construímos uma programação para que todas pessoas possam participar. Ainda temos restrições devido a pandemia, mas estaremos com atividades online, de uma forma que todas pessoas poderão acompanhar”, explica.

Em conformidade com a Lei Nº 6.815/2021, as entidades participantes são o Conselho Municipal de Proteção ao Meio Ambiente (COMPAM), Centro de Tecnologias Alternativas Populares (CETAP), Centro de Apoio e Promoção da Agroecologia (CAPA), EMATER-RS/ASCAR, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI), Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS), Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS), Secretaria Municipal de Educação, 15ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), Câmara de Vereadores e TV Câmara.

Confira a programação completa:

Confira os links das atividades que serão realizadas de forma online, pelo Google Meet

(22/09) 14h – Minicurso: Unidades de Conservação como Ferramenta de Educação Ambiental na Educação Básica.

  • meet.google.com/ect-qdri-amn

(23/09) 14h – Oficina: Aplicação de uma Ferramenta de Gestão de Unidades de Conservação.

  • meet.google.com/bvq-zgey-mês

(24/09) 10h – Atividades artísticas e lúdicas como forma de aproximação da natureza: jardins sensoriais e abelhas nativas.

  • meet.google.com/dqu-vkux-wss

(25/09) 14h – Roda de conversa sobre abelhas nativas sem ferrão: Abelhas nativas sem ferrão e sua importância para preservação ambiental – ações realizadas na região do Alto Uruguai.

  • meet.google.com/rjv-pqbh-hir

* Com informações da Prefeitura Municipal de Erechim/RS (pmerechim.rs.gov.br)


Buscar

Arquivo

Galeria de fotos