Author Archives: mda

  • 0

Como usar a caixa de compostagem

O processo de compostagem tem sido adotado por muitas pessoas como uma opção de gestão mais adequada dos resíduos orgânicos em suas próprias casas ou apartamentos, evitando o acúmulo de material que é destinado a aterros sanitários.

Para montar uma composteira doméstica, podem ser utilizados diferentes materiais que temos em nossas casas, como baldes, por exemplo. Também temos a opção de adquirir composteiras prontas, como modelos de caixas decompositoras, com reservatório para o chorume, pensadas para a produção de húmus através da utilização de minhocas.

Neste vídeo você vai aprender como utilizar a composteira, desde a montagem, a introdução das minhocas, a colocação dos resíduos orgânicos e a cobertura com material seco para evitar a atração de insetos e odores desagradáveis. O resultado final da compostagem será a produção de chorume, um rico biofertilizante e de húmus de minhoca, um adubo orgânico que pode ser utilizado na produção de mudas e no enriquecimento do solo para a produção de novos alimentos.

….

Realização: Centro de Tecnologias Alternativas Populares (CETAP), através do Projeto Consumidores e Agricultores em Rede, com apoio da Misereor.


  • 0

Encontro da Câmara Temática das Agroflorestas da região dos Campos de Cima da Serra

O CETAP, juntamente com a Câmara Temática das Agroflorestas da região dos Campos de Cima da Serra, está promovendo um Encontro Regional para apresentação e discussão do projeto Ampliação das estratégias e ações de conservação e uso da água e da sociobiodiversidade em propriedades de agricultores familiares da região Norte e Nordeste do RS. O encontro é aberto à participação da comunidade, sendo solicitada confirmação da participação até o dia 20 de janeiro, pelo telefone (51) 9 9952 7939.

Data: 1º de fevereiro de 2022 (terça-feira)

Local: Sede Campestre do Sindicato dos Municipários de Vacaria (Estrada Capão do Índio, nº 1990 – antigo Patronato)

PROGRAMAÇÃO

  • 9h – Recepção e abertura
  • 10h – Painel “Conservação e uso da água e suas alternativas a partir da revitalização de nascentes e valorização e uso da biodiversidade nativa da região, como meio de geração de renda e conservação dos ambientes naturais”
  • 12h – Almoço com cardápio elaborado a partir de produtos da biodiversidade local
  • 13h30 – Apresentação, debate e planejamento das ações a serem desenvolvidas no próximo período
  • 16h – Encerramento com lanches elaborados a partir de produtos da biodiversidade local

O evento contará com uma feira de troca de sementes e mudas. Convidamos todos e todas a trazerem mudas, sementes e tubérculos para trocarmos e compartilharmos.



  • -

Compostagem de resíduos orgânicos

A gestão dos resíduos é uma problemática que precisa do envolvimento de todas as pessoas para encontrar soluções que minimizem o impacto na natureza, principalmente nos grandes centros urbanos, onde a produção de lixo tem volumes consideravelmente maiores. Grande parte dos resíduos sólidos ainda são destinados para aterros sanitários, tendo um grande potencial poluidor para o solo, a água e o ar.

Uma das possibilidades que está ao alcance de todas as pessoas é a separação destes resíduos entre recicláveis, orgânicos e rejeitos. O material reciclável pode se transformar em novos produtos e o material orgânico, através da compostagem, pode se transformar em adubo para ajudar a produzir novos alimentos.

Neste vídeo apresentamos algumas dicas importantes para a separação dos resíduos orgânicos, uma sugestão de montagem de composteira doméstica reaproveitando baldes e a utilização de minhocas para a produção de húmus, que pode ser usado para melhorar a produção em hortas urbanas.

….

Realização: Centro de Tecnologias Alternativas Populares (CETAP), através do Projeto Consumidores e Agricultores em Rede, com apoio da Misereor.


  • -

Plenária do Núcleo Planalto da Rede Ecovida

No dia 22 de dezembro de 2021 aconteceu mais uma plenária do Núcleo Planalto da Rede Ecovida, reunindo aproximadamente 40 pessoas no auditório da COASA (Cooperativa Agrícola Água Santa), em Água Santa/RS. Participaram agricultores e agricultoras certificados pela Rede Ecovida e famílias em processo de transição para produção orgânica. O objetivo foi promover um espaço de socialização da agroecologia no núcleo. O tema mobilizador do trabalho durante a manhã foi “Direitos Humanos”, com o debate conduzido pelo professor Paulo Carbonari.

Durante a tarde foi realizado um debate sobre a prática de preparação de mudas e produção de sementes, onde foram levantados quais os limites, desafios e potencialidades encontrados no âmbito do núcleo. Os participantes foram divididos em quatro grupos e ao final aconteceu a socialização, onde foi exposto a prática do preparo das mudas com materiais de fácil acesso.

A atividade contou com agricultores e agricultoras de Sananduva, Ibiaçá, São José do Ouro, Água Santa, Paraí, Passo Fundo, Casca, Marau, Santo Antônio do Palma, São João da Urtiga, São Domingos do Sul, Lagoa Vermelha, Cacique Doble, Guaporé, Ilópolis, Não-Me-Toque, União da Serra e Vista Alegre do Prata. A organização esteve a cargo do CETAP, Grupos do Núcleo Planalto da Rede Ecovida e famílias agricultoras de Água Santa, com o apoio da Fundação Interamericana.


  • -

Recicladores criam horta urbana para qualificar refeições preparadas na cooperativa

A Cooperativa de Trabalho dos Recicladores do Parque Bela Vista – Recibela, de Passo Fundo/RS, está organizando uma horta com o objetivo de produzir alimentos orgânicos no entorno do pavilhão de reciclagem. A equipe técnica do CETAP está acompanhando o trabalho de planejamento, preparação do solo, montagem dos canteiros e início da produção. As atividades vêm acontecendo desde começo de outubro, numa construção conjunta com os recicladores cooperados.

Para aproveitar o espaço no entorno do pátio, que é pequeno, foi organizada uma horta para cultivo de hortaliças, utilizando pneus. Também foram realizadas podas e desbaste de árvores frutíferas e de sombra. Já atrás do antigo pavilhão, que tem um espaço maior, foi feito o preparo do solo para o cultivo de tubérculos e grãos. Na sequência também foi pensado o plantio de mudas frutíferas no intuito da implementação de um sistema agroflorestal e a construção de uma composteira para transformar os resíduos orgânicos em adubo. Este trabalho prático é acompanhado de encontros de formação, visando uma melhor compreensão destes temas por parte dos cooperados e também das cozinheiras que preparam os alimentos diariamente na cooperativa.

Serão cultivadas hortaliças, grãos e tubérculos que possam ser utilizados nas refeições dos cooperados, a fim de enriquecer de forma saudável os cardápios do café da manhã, almoço e lanche da tarde preparados dentro da própria cooperativa. A demanda surgiu da própria cooperativa, que convidou o CETAP para contribuir no projeto. Inicialmente aconteceu uma conversa com a coordenação da cooperativa para identificar os interesses e expectativas, mapeando a situação atual e apresentando possibilidades de trabalho. Nessa construção definiu-se priorizar a produção de alimentos para autoconsumo, devido a necessidade imediata dos cooperados, que em sua maioria fazem suas únicas refeições na própria cooperativa.

A proposta é que a equipe do CETAP faça um acompanhamento mais intensivo neste primeiro momento, realizando treinamentos e oficinas para que os próprios cooperados possam aprender a produzir seus alimentos, resultando em maior autonomia e menor necessidade de acompanhamento externo no futuro. Estão envolvidos nesta ação mais de 60 recicladores cooperados, técnicos do CETAP e também representantes do projeto TransformAção.


  • -

Mutirão para construção de estufa comunitária em Água Santa

Um mutirão realizado no dia 8 de dezembro de 2021 reuniu técnicos do CETAP, Coapi (Cooperativa dos Apicultores), Emater e agricultores familiares para a construção de uma estufa comunitária no Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) de Água Santa/RS. Durante o dia foi feita toda estrutura da estufa, desde a instalação dos palanques até a cobertura com o plástico. Em segundo momento, ficou encaminhado que o grupo irá construir os canteiros para plantio das mudas.

A montagem desta estufa tem como objetivo oportunizar a produção, de forma coletiva, de hortaliças e chás. O projeto foi elaborado pelas entidades que realizaram o mutirão e subsidiado pela cooperativa de crédito Sicredi. O CETAP, através do convênio com a Prefeitura Municipal de Água Santa e também do projeto de cooperação com a Fundação Interamericana, estará envolvido com o suporte técnico para a produção na estufa.


  • 0

Dinâmicas de comercialização: possibilidades para o avanço da agroecologia

O avanço da produção agroecológica impulsionou a demanda pela construção de novos canais de comercialização, para que as famílias consigam viabilizar seu sustento a partir da agricultura ecológica e os consumidores urbanos tenham acesso a produtos de qualidade e de forma mais direta. As feiras ecológicas desempenham um papel importante nesta relação entre agricultores familiares e consumidores urbanos, mas o aumento do volume de produção provocou a criação de outras dinâmicas de comercialização, envolvendo associações, cooperativas, mercados e grupos de consumo, contribuindo para ampliar o fluxo de produtos e aproximar os agricultores de novos consumidores.


Este vídeo foi produzido pelo Centro de Tecnologias Alternativas Populares (CETAP), com o apoio da Rede Terra do Futuro – Framtidsjorden
2021


  • -

Tarde de campo aborda a importância da sustentabilidade na produção agrícola

No dia 1º de dezembro foi realizada uma tarde de campo na Comunidade São Valentin, em São Domingos do Sul/RS. O objetivo foi promover a agricultura orgânica e agroecológica na região, fortalecer as redes de apoio da agroecologia por meio da troca de experiência, bem como, incentivar outras famílias e jovens rurais a integrarem-se nesta proposta. Participaram aproximadamente 60 pessoas, entre agricultores e agricultoras, feirantes, técnicos agrícolas, professores e estudantes dos municípios de São Domingos do Sul, Sananduva, Ibiaçá, São José do Ouro, Água Santa, Nova Prata, Paraí, Passo Fundo, Casca, Vila Maria e Vanini.

A abertura do evento, que também integrou as comemorações do 24º aniversário do município, aconteceu no pavilhão da comunidade. Logo em seguida, os participantes se dirigiram para a propriedade da família Ferro, que faz parte do Grupo Mãos na Terra, onde aconteceram as oficinas. Foram organizados grupos que se revezaram nas estações com diferentes temas:

Microrganismos do solo – o agrônomo da Emater conduziu o debate sobre a importância dos microrganismos do solo, como eles agem em simbiose com as plantas e quais os manejos para mantê-los vivos e ativos.

Insumos biológicos – o agricultor Ronaldo Ferro apresentou sua biofábrica, falou da sua experiência desde a criação, montagem dos biorreatores, levantamento de custos da estrutura, ajustes e adaptações. Além disso, socializou sobre quais microrganismos reproduz, como é realizado o processo de fermentação, aplicação e cuidados.

Produção – o agricultor Jonas Ferro, falou sobre a experiência da família com a produção orgânica, relatou sobre os manejos realizados na propriedade, desde preparo do solo, mudas, irrigação e controle de insetos e doenças.

Comercialização – a agricultora Vanessa Ferro relatou sobre os canais de comercialização que o grupo Mãos na Terra acessa, falou sobre a logística do grupo, como se organizam e também sobre as dificuldades e possíveis soluções.

Sucessão familiar – o agricultor Oberdan Finatto relatou sobre o histórico das famílias do grupo e como hoje os jovens estão protagonizando este processo, assumindo todas as linhas de frente, desde o planejamento, a produção, até a comercialização.

Certificação orgânica – o agricultor André Favreto relatou sobre os princípios da Rede Ecovida de Agroecologia, como ela é estruturada e quais os deveres dos agricultores ecologistas, além disso, falou sobre o processo para certificação da produção.

A atividade foi organizada pelo Grupo Mãos na Terra e contou com o apoio do CETAP, Rede Ecovida, Prefeitura de São Domingos do Sul, STR de São Domingos do Sul, Cresol, Emater e Senar/RS. Diversas famílias agricultoras que participaram do evento são acompanhadas pelo CETAP, por meio dos convênios com a Cresol e com a Prefeitura de Água Santa/RS. Também o Grupo Mãos na Terra é assessorado pelo CETAP desde sua criação e tem desempenhado um papel importante na construção da agroecologia em toda a região.


  • -

Oficinas sobre horta e produção de alimentos orgânicos na APAE de Passo Fundo

No mês de novembro foram realizadas oficinas sobre produção de alimentos e compostagem junto aos usuários da APAE de Passo Fundo. No dia 9, nos turnos da manhã e tarde, aconteceu a oficina sobre horta suspensa para produção de alimentos orgânicos, com turmas da APAE de Passo Fundo. Participaram 56 usuários e também professores da entidade. O objetivo das oficinas foi mostrar que é possível produzir alimento mesmo em pequenos espaços, fazendo as adequações para que todos possam se envolver com igualdade e afetividade. O CETAP desenvolve um trabalho com hortas escolares por entender que elas podem desempenhar um importante papel na educação ambiental e também na socialização e relação com a natureza, contribuindo para uma alimentação mais saudável, especialmente para as crianças em idade escolar.

Durante este dia, a equipe técnica do CETAP coordenou oficinas sobre produção de alimentos orgânicos e produção de mudas, num espaço construído sobre uma mesa. A produção de alimentos em superfície elevada é uma alternativa importante para facilitar que todos possam se envolver na atividade, mesmo usuários com dificuldades motoras. Desta forma, pode-se trabalhar em pé ou sentado, escolhendo a melhor forma de produzir alimentos: em caixas plásticas, garrafas pets, canos ou outra estrutura. A produção de mudas aconteceu com sementes e tubetes doados pelo CETAP. Foram plantadas mudas de alface, beterraba, salsa e cebola e semeou-se cenoura, salsa e alface para posteriormente plantio em recipientes maiores.

O trabalho também destacou a importância de sabermos de onde vêm os alimentos que comemos diariamente, como eles são produzidos e que impactos geram na natureza. Com isso, foi reforçada a produção de alimentos orgânicos na horta, sem o uso de insumos químicos, para que possam ser usados diretamente nas refeições preparadas na entidade. Também no mês de novembro foi realizada uma oficina sobre compostagem de resíduos orgânicos, como forma de reciclar parte do lixo doméstico produzido pelas famílias e pela entidade, produzindo adubo que pode ser utilizado na própria horta que está sendo implantada na APAE.


  • 0

Seminário debate dinâmicas de comercialização de alimentos agroecológicos e o fortalecimento da Cadeia Produtiva Solidária das Frutas Nativas

Nos dias 25 e 26 de novembro de 2021 aconteceu o Seminário Nacional Desafios para a construção de novas dinâmicas de comercialização no atual contexto agroecológico do sul do Brasil e o 9° Encontro Estadual da Cadeia Produtiva Solidária das Frutas Nativas do RS, com o objetivo de difundir dinâmicas de comercialização articuladas de forma coletiva, em espaços inter-regionais, debatendo sua relação com o contexto atual da sustentabilidade e da agroecologia. A atividade realizada em Passo Fundo/RS, reuniu representantes de grupos de agricultores agroecologistas, entidades de assessoria técnica, associações de agricultores, cooperativas, grupos de economia solidária e empreendimentos urbanos.

Na abertura, Edson Klein, coordenador executivo do CETAP (Centro de Tecnologias Alternativas Populares), entidade responsável pela organização do evento, destacou a importância de realizarmos encontros para discussão das dinâmicas de comercialização de alimentos agroecológicos e produtos do extrativismo sustentável, pois compartilhar experiências, êxitos e dificuldades contribuem para melhor planejar as ações futuras. Lídia Rocha Figuero, do empreendimento Encontro de Sabores, que trabalha com o processamento de frutas nativas, reforçou a importância de atividades como esta para continuar o fortalecimento e a ampliação da Cadeia Solidária das Frutas Nativas.

Inicialmente foi realizada uma retomada histórica do trabalho de resgate e valorização das frutas nativas, destacando os antecedentes que possibilitaram a criação da Cadeia Produtiva Solidária das Frutas Nativas do Rio Grande do Sul (CPSFN) e como essa articulação vem sendo construída nos últimos anos. Também foram lembrados os temas e principais encaminhamentos dos oito encontros estaduais já realizados. Na sequência, cada região fez uma apresentação de como estão organizados os fluxos e as dinâmicas de produção, processamento e comercialização dos produtos, o que possibilitou identificar os diferentes atores e atrizes que fazem parte deste processo e como eles se inter-relacionam.

Os participantes também puderam acompanhar a apresentação do estudo que vem sendo conduzido por Jairo Antonio Bosa, que busca identificar as principais características da Cadeia Produtiva Solidária das Frutas Nativas. A partir de uma pesquisa realizada com integrantes desta cadeia, estão sendo identificados alguns aspectos inovadores desta experiência, as principais vantagens deste modelo e também alguns limites que precisam ser superados para a ampliação do volume de produção e melhoria da viabilidade econômica.

Gilmar Ostrowski, representante da Ecoterra – Associação Regional de Cooperação e Agroecologia, com sede em Três Arroios/RS, foi convidado a apresentar como funciona a dinâmica de comercialização do Circuito Sul da Rede Ecovida de Agroecologia. Ostroski retomou brevemente a história da Ecoterra e como aconteceu a decisão de buscar novos mercados nos estados de Santa Catarina, Paraná e São Paulo para comercializar os alimentos orgânicos produzidos na região Alto Uruguai do Rio Grande do Sul, dando origem ao Circuito Sul de Comercialização. Foi detalhado como funciona o planejamento da produção, a política de preço dos produtos e a garantia de venda integral da produção pela Ecoterra. Os integrantes da CPSFN puderam trocar informações sobre custos e modelos de processamento, armazenamento e logística, debatendo como a experiência consolidada da Ecoterra pode inspirar o fortalecimento da cadeia das frutas nativas, especialmente no aspecto da gestão e comercialização dos produtos.

O segundo dia do evento buscou privilegiar a participação e troca de informações entre todos os participantes. Foram organizados quatro grupos de trabalho para debater as perspectivas e desafios da CPSFN.  Na parte final foi apresentada a nova composição da Coordenação da CPSFN, com as indicações das regiões e aprovado o ingresso de dois novos empreendimentos que passam a integrar a cadeia: Yatay Saboaria e Cosmética Natural, de Porto Alegre/RS, que trabalha com hidrolatos, óleos essenciais, cosméticos e biocosméticos; e Agroindústria Yatay, de São José do Inhacorá/RS, que atua no processamento do butiá na região das missões. Esta atividade foi realizada com o apoio da IAF (Fundação Interamericana), dentro do projeto de cooperação com o CETAP, para fortalecimento da articulação em redes de assessoria, produção e comercialização.


Buscar

Arquivo

Galeria de fotos